Falei Tá Falado! A saúde de Itabaiana é uma farra.

No HRPG misturam urgência e emergência com ambulatório. A rede municipal não atende a demanda.

Estive na manhã desta quinta feira, 27/11 na urgência do HRPG em Itabaiana com um filho acidentado, nada grave. Enquanto aguardava o atendimento fiquei a observar a confusão que é um hospital público em Sergipe.

Onde devem ser atendidos os casos de urgência e emergência desfilam pacientes ambulatoriais, bebês recém-nascidos, que deveriam ser atendidos pela atenção básica do município, mas estão lá superlotando a recepção da unidade.

Não bastasse, a todo instante chegam ambulâncias de municípios vizinhos sergipanos, baianos e alagoanos onde às prefeituras não fazem sua parte e obriga as pessoas se deslocarem para o HRPG.

Em menos de uma hora ambulâncias de municípios como Itapicuru e Cel. João Sá na Bahia, Piranhas e Pão de Açúcar em Alagoas além de vários do agreste, sertão e centro-sul de Sergipe pararam na portaria da urgência com pacientes que não foram atendidos em suas origens, a maioria, pacientes ambulatoriais, uma gripe, uma diarreia, uma dor lombar, coisas assim.

Para complicar ainda mais o quadro, lá estão os assistentes (cabos) sociais (eleitorais) fazendo sua demagogia, praticando o miserável do clientelismo já pensando na próxima eleição.

No meio dessa confusão toda ficam médicos, profissionais de saúde, e a direção da casa tendo que administrar essa babel custeada com o dinheiro do povo vitima dessa estrutura quase falida. 

No caso especifico da rede de atenção básica e do hospital de Itabaiana, cabe a Prefeitura representada pelo prefeito Valmir dos Santos Costa (PR), e o governo do estado através do deputado eleito Luciano Bispo (PMDB) e seus aliados do PT viabilizar condições decentes de atendimento ao povo.

 

 

Deixe uma resposta