Falei Tá Falado. A violência volta a explodir no agreste. Mortes e assaltos acontecem todos os dias.

Durante a campanha eleitoral houve uma pausa, mas depois a matança voltou.

Parece coisa pensada. Antes de iniciar a campanha eleitoral de 2014, a violência estava dominando o município de Itabaiana e região, assaltos e assassinatos praticamente todos os dias.

Iniciada a campanha os crimes diminuíram sensivelmente, praticamente não se registrou homicídios em Itabaiana.

Talvez um em todo o período cuja vítima foi socorrida e faleceu no hospital depois de devidamente atendida.

Com o termino da campanha eleitoral estadual, sem a necessidade do segundo turno para governador, as coisas voltaram a piorar; agora além dos assaltos diários principalmente contra jovens e mulheres portadores de celulares e motonetas, assassinatos estão acontecendo com frequência, com fortes indícios de execução e com pequeno período de tempo de um para o outro.

De quem é a culpa de toda essa violência em Itabaiana e grande parte do agreste?

No 3º Batalhão de Policia Militar (3º BPM) que tem a obrigação de oferecer segurança preventiva aos 14 municípios do agreste, Itabaiana Areia Branca, Campo do Brito, São Domingos, Macambira, Carira, Pedra Mole, Pinhão, Frei Paulo, Ribeirópolis, Malhador, São Miguel do Aleixo, Moita Bonita e Nossa Senhora Aparecida, a estrutura continua insuficiente para atender a demanda da região, e o comandante Ten.cel Reinaldo Chaves tem trabalhando com heroísmo e contando com a abnegação dos poucos militares ainda sob seu comando.

Situação mais grave registra-se na delegacia regional de policia civil, não há equipes de rua, são alguns delegados, cada um com um escrivão e pronto.

O delegado João Eduardo Dantas que responde pelo Setor de Roubos e Furtos, sem suportar a carga, pediu licença do cargo e não deverá retornar, o mesmo deverá acontecer com o delegado do SHPP (homicídios).

O que mais preocupa além da insegurança que coloca o cidadão da região a mercê dos bandidos, é que não há nenhuma perspectiva de solução a vista.

Talvez o governo e seus aliados na região estejam esperando começar o próximo mandato para tomarem alguma providencia. Até lá, quantas vidas serão ceifadas, quantas famílias serão ultrajadas pela impunidade que campeia no estado onde a policia é insuficiente e parece que o governo esta sendo negligente, sem contar que o judiciário cego pela legislação criminal arcaica termina por contribuir para a permanência da bandidagem nas ruas.  Falei tá falado.

 

Deixe uma resposta