Falei Tá falado. Na Capital do Caminhão o transito urbano é uma babel.

Prefeitura e SMTT ignoram a bagunça.

Dirigir um carro um carro pelaras ruas de Itabaiana (SE) exige do motorista além da destreza, atenção, paciência, humildade e sorte, para li dar com as mais bizarras situações cotidianas protagonizadas principalmente pelos condutores de veículos de duas rotas.

Em Itabaiana cidade reconhecida pelo Congresso Nacional como a Capital Brasileira do Caminhão, condutores de motos não respeita a sinalização, abusam da confiança e cometem todo tipo excesso, imprudência e infração prevista no Código de Transito Brasileiro (CTB).

Menores de idade, portanto sem habilitação, autorizados pela ousadia dos pais dirigem motos com ou sem identificação, de forma perigosa para eles e sua potenciais vitimas, que pode ser uma criança, um idoso, ou qualquer pessoa, pois andam em velocidade excessiva, pelas ruas e avenidas da cidade, cometendo todo tipo de irresponsabilidade, como ultrapassar outro veículo pela direita, avançar em cruzamentos mesmo quando o semáforo está vermelho, converter em locais proibidos (as famosas roubadinhas), andar com o veículo o sobre uma roda (empinar), além de não usarem os equipamentos de segurança exigidos pelo CTB etc…

Já os condutores maiores de idade, nem sempre habilitados, desafiam as leis transportando um número de pessoas maior que o permito para uma moto, inclusive crianças sem nenhuma segurança (neste caso, pais e mães estão entre os principais transgressores), param em colais proibidos, estaciona de forma irregular ocupando espaços destinados aos automóveis, tornando ainda mais estressante a aventura de dirigir um veículo nas ruas de Itabaiana, e tudo isso diante dos agentes da Superintendência Municipal de Transito e Transportes – SMTT, que deixa muito a desejar.

O transito urbano de Itabaiana, é uma questão de educação e gestão, falta educação dos motoristas, motociclistas e pedestres, e faltam competência e compromisso da SMTT, seus gestores e agentes, sem contar que ainda existem algumas figuras influentes ligadas aos setores dominantes que além abusarem com seus carrões em contramão, parados no meio da rua causando transtorno além do que já existe, ainda protege os irresponsáveis que tornam o transito da cidade uma “Babel” e tudo isso diante da autoridade do prefeito Valmir (de Francisquinho) dos Santos Costa (PR) que ao que se sabe pouco ou nada tem feito para reverter este quadro que depõem contra o município que se desenvolve arrastando para o futuro essa mazela da falta de educação, da desobediência e da violência no transito. 

Dirigentes e agentes da SMTT precisam descobrir que o transito da cidade não se resume ao cruzamento da Rua São Paulo com Augusto Maynard e Praça João Pessoa, onde eles ficam por quase todo o dia enquanto nas outras ruas, avenidas e praças os marginais do transito cometem seus crimes impunimente.

O prefeito precisa fazer a sua parte cobrando dos seus auxiliares providencias e soluções para esse caos urbano na bela Itabaiana.

Cidade desenvolvida não aquela que pavimenta ruas, urbaniza praças e paga salario em dia (obrigação do empregador). Tudo isso é importante, mas é preciso cuidar da organização urbana e fazer valer as leis para dar segurança e prazer aos residentes e visitantes.

Falei tá falado, quem tem voz tem vez e quem tem voto é o povo.

Deixe uma resposta