Falei tá Falado. O jeito Valmir de governar e a inoperância da oposição.

A oposição em Itabaiana apresenta-se sem foco sem força e sem nome para 2016.

No município de Itabaiana, Sergipe, o prefeito Valmir (de Francisquinho) dos Santos Costa (PR) segue na sua rotina de visitar povoados, anunciar calçamento de ruas, urbanização de praças na zona rural, pagar salário em dia, usar diariamente as emissoras de rádio para promovê-lo como o melhor do estado e nos bastidores organizar uma disputa pela vaga de seu candidato a vice-prefeito em 2016 e ao mesmo tempo busca construir o seu grupo pensando nos pleitos futuros.

Do outro lado nada se fala ou faz para dar um indicativo de como estão às tratativas sobre a sucessão municipal em 2016. Depois da meteórica exposição do nome de Edson Passos como o possível candidato a prefeito da oposição pelo PMDB, fato desconversado, mas não negado pelo mencionado, só se fala nas ações e exposições do presidente da Assembleia Legislativa do Estado sem vincular nada a campanha que se aproxima até porque o próprio Luciano já anunciou que ele não disputará a prefeitura; em relação a candidatos ou pré-candidatos a prefeito á um silêncio estranho dominando o ambiente lucianista.

Nem mesmo os índices largamente favoráveis a Valmir de Francisquinho constatados por coletas de opinião pública encomendada pelo governo do estado estimularam os liderados de Luciano Bispo a uma reação.

O máximo que se ver são ironias nas redes sociais seguidas de um sorriso amarelo que os (a) “lucianetes” tentam esboçar.

Aliado de todas as horas desde que se somou ao então prefeito Luciano Bispo (2010) o atual Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Olivier Chagas (PT) é o único que tem se movimentado em oposição racional ao prefeito, porém suas ações não repercutem o suficiente na estrutura midiática do grupo, onde o espaço é absolvido por outras personagens desastradas, resultando nas aparições do prefeito nas redes sociais exibindo cédulas de reais que recebe das indenizações por danos morais determinadas pela justiça.

O blog avalia que Valmir vive um momento de quase absolutismo, por conta da ausência inoperância ou incompetência da oposição, tanto na Câmara quanto nos demais seguimentos da sociedade.

O que se propaga como excepcional, na verdade não passa de uma gestão regular, com notório controle financeiro feito unicamente pelo prefeito, (o que deve ser levado em conta por conta dos péssimos exemplos ainda na lembrança popular) mas que, no entanto têm problemas graves, de ordem politica e gerencial nas áreas estratégicas da administração, com destaque para a saúde, educação, agricultura, cultura e gestão de pessoal, notadamente a questão salarial e valorização dos servidores, setores onde pouco ou nada tem sido feito, privando o povo dos mais elementares serviços, como médicos regularmente nos postos de saúde, remédio, regulação suficiente de exames usando o critério da igualdade de tratamento no atendimento as pessoas, uma unidade de pronto atendimento 24horas, eventos culturais, (não nos referimos a shows) valorização das artes e do civismo municipal, etc…

Se os loquazes da oposição se preocupassem em identificar os defeitos da atual gestão, que existem, para sugerir soluções sensatas, e nos casos necessários chamar a atenção dos órgãos fiscalizadores do estado e da união em vez de ficarem desperdiçando o tempo nos grupos de Whats App e Face Book com revides, ilações de declarações passionais, certamente estaria dando um contributo interessante e construindo opções e alternativas para serem avaliadas pela sociedade no próximo pleito.

De outa forma tire o cavalinho da chuva antes que ele pegue um resfriado que pode evoluir para uma pneumonia porque com esse modelo improdutivo de ser ou fazer oposição não chagarão a outro resultado se não a uma acachapante derrota exatamente para Valmir de Francisiqunho, independente de quem seja o seu candidato a vice-prefeito e do infeliz que assumir a candidatura de oposição. 

Falei tá falado. Quem tem voz tem vez e quem tem voto é o povo

 

 

 

 

Deixe uma resposta