Itabaiana. Secretaria de Saúde nega a distribuição de medicamentos vencidos.

Em nota a Secretária Karla Mendonça afirma que a dispensação é acompanhada por técnicos.

Na sessão de terça-feira, 25/04 o vereador De oposição Sinvaldo Góis Teixeira, Cabeça de Porco – PMDB denunciou que a Secretaria Municipal de Saúde – SMS de Itabaiana, Sergipe, entregou no povoado Várzea do Gama, na casa do Senhor Conhecido por Tonho de Sula medicamento com validade vencida e que em tempo uma agente de saúde percebeu e recolheu o medicamento.

A denúncia do vereador gerou polêmica e provocou a reação dos parlamentares de situação que siaram em defesa do município exigindo do denunciante prova do ocorrido.

Nesta quinta-feira, 27/04, a Secretária Municipal de Saúde Karla de Oliveira Mendonça encaminhou uma nota de esclarecimento a Câmara negando que tenha havido a dispensação de medicamentos com validade vencida assegurando que a distribuição de medicamentos com a população é acompanhada por farmacêuticos e agentes da Vigilância Sanitária. A nota foi lida ainda no grande expediente da sessão pelo primeiro secretário da casa vereador marcos Vinicius de Oliveira (PTC) por determinação do presidente Jose Teles de Mendonça (PR).

Segundo a nota da SMS, “nenhum medicamento é dispensado do estoque da secretaria vencido, pois há o acompanhamento de farmacêutico e da Vigilância Sanitária”. A nota diz ainda que “quando constata algum caso em que o medicamento tenha passado da validade, uma empresa especializada em descarte é acionada e faz o devido recolhimento”.

Ainda segundo a nota “O manual de Boas Praticas de Dispensação de Medicamentos regulamenta que remédios para doenças agudas podem ser dispensados dentro do mês indicado para o vencimento”, ou seja, um medicamento com validade em determinado mês vale até o ultimo dia do mesmo mês.  Quanto aos medicamentos de uso continuo o descarte sempre é feito antes do fim da validade.

A nota refere-se ainda a distribuição de fraudas também questionada por Cabeça de Porco.  Segundo a secretária Karla Mendonça uma portaria em vigor diz que a secretaria só pode distribuir fraudas adquiridas com recursos próprios da secretaria a pacientes devidamente cadastrados no Núcleo de Atendimento a Saúde da Família – NASF.

A nota finaliza dizendo que a secretaria de saúde esta a disposição para qualquer esclarecimento sobre o assunto.

Deixe uma resposta